543836852489950

O curso de Palhetada Customizada tem como finalidade fazer o guitarrista pensar de forma autônoma. Traz os quatro tipos de palhetadas padrão para o entendimento de iniciantes e, abre outros pontos de vista para intermediários e avançados. Os tipos raiz dessa compreensão são as palhetadas:   

Alternadas e Sweep ascendente e descendente é o básico.

Na sequência, foram pensados mais 4 tipos. Extraídos da lógica padrão e, somados a outras ferramentas, que fogem do contexto proposto que é palhetar porém; podem atuar com a mesma característica marcante das palhetadas padrão e trazer mais nuances que com certeza irão diferenciar essa prática do sobe e desce e levar a concepção à outro nível.

O pensamento é trazer as características fortes das palhetadas padrão e, fazer uso de outros recursos trazendo outras opções, sempre buscando a confortabilidade física na hora de tocar e acrescentando um Picking Plus Booster na concepção pessoal de cada um, pois essa lógica pode e, deve ser aleatória quando se pensa em elevar o fator diferencial de execução das escalas ascendentes e descendentes.   

1- Palhetada Alternada ( IN) Por dentro

O desenvolvimento desse contexto está muito embasado no detalhe da postura da sua mão direita, ou esquerda se for canhoto. Estamos falando de começar uma sequência de palhetadas alternadas, com a primeira palhetada da sequência para cima. Isso faz com que a sua postura tenha que se adaptar a esse tipo de posicionamento. A sugestão é que se use a mão direita mais fechada. Tanto na ascendente, quanto na descendente.

2- Palhetada Alternada (OUT) Por Fora

Esse tipo de palhetada é muito mais comum e, traz como característica marcante o apoio usado pela mão direita, com os dedos médio e anelar no escudo da guitarra. Eu costumo deixar um pouco abaixo dos captadores, para obter um maior ângulo . Entretanto, esse apoio é móvel, ele pode se deslocar conforme você busca  outras cordas. A outra forma mais abrupta e fazer o movimento com os pulso o que torna a execução mais difícil, pelo fator fadiga muscular. O terceiro modo é o Economy Picking. Ele deve ser usado com leveza e tentar diminuir ao máximo o movimento da mão na mecânica que alterna a sequência out.

3- Sweep Ascendente e Descendente

Aqui nós teremos duas situações de postura. No caso ascendente, usamos sempre o princípio da palhetada out para começarmos uma sequência de três notas por corda, porém; quando chegamos na terceira nota, aproveitamos a posição da palheta para baixo, para varrer com um movimento só a próxima nota que está na corda debaixo e, assim continuamos a sequência, mantendo uma postura de apoio e tentando usar o (Economy Picking) para evitar desgastes físicos.

Já o sweep descendente, aconselho testar a postura da mão fechada, para posicionar a varredura inversa da palheta com o ângulo mais bem posicionado.

4- Sweep ascendente e 2 Palhetadas alternadas + 1 ligado 

Dentro desse contexto nós começamos a usar o termo  customizar  dentro da nossa prática de estudo. Usamos o Sweep Picking da forma tradicional, que já está  descrita no texto acima, mas também misturamos na forma descendente,  usando duas alternadas, começando com a primeira out a segunda in e mais um ligado para reduzirmos o movimento da mão direita e, obtermos uma sonoridade que lembra muito a palhetada alternada.

5- Sweep ascendente + 2 palhetadas + 1 Ligado + Alternada

O contexto agora trás mais uma forma de palhetada para complementar a sequência. É o mesmo padrão do exemplo acima porém; juntamos uma sequencia de alternadas in a partir da corda G para finalizarmos na descendente.

6- Sweep + Ligados

A ideia aqui é fugir um pouco do conceito sobe e desce e, focar na concepção de unir duas técnicas muito poderosas. O sweep ascendente com os ligados meio abafados. Esse termo ligados abafados é muito importante, porque a sonoridade dessa concepção nos remete a uma forma de percussividade, que trabalha muito bem com a estética da palhetada alternada. Portanto; é a soma de duas técnicas que proporcionam uma sonoridade próxima da palhetada alternada.

7 e 8 - Abafando levemente a mão esquerda 

Foi pensando exatamente no termo customizar que fui levado a entender a importância da mescla de técnicas, que muitas vezes percorrem caminhos solitários, a se unificarem, trazendo um Plus Booster  na adaptação das formas mais antigas de se encarar o tema. O fato do abafado ter uma imensa ligação percussiva com o kick da palheta que me levou a criar essa combinação perfeita. Esse exemplo tem muita mais a ver com leveza da mão esquerda, que em suma é, tocar as notas no braço sem encostar na madeira para trazer sentido ao abafado e, proporcionar a sensação percussiva que somada a um kick alternado ou sweepado dá um plus gigante de interpretação.